Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2010

SIMPLESMENTE COMPLICADO (IT'S COMPLICATED, 2009), DE NANCY MEYERS

Nancy Meyers faz parte atualmente do prestigiado grupo de diretoras . Dirigiu os filmes "Alguém Tem que Ceder" (Someone's Gotta Given) e "O Amor não Tira Férias". Nos três, ela dirige, escreve e produz.

A história de Simplesmente Complicado envolve pessoas maduras, na faixa de 50 anos de idade. As três personagens - Jane (Meryl Streep, Jake (Alec Baldwin) e Adam (Steve Martin) - são divorciados, sendo que Jane e Jake foram casados por vinte anos e há dez estão divorciados e Adam divorciou-se há dois anos. Jane é empresária do ramo de restaurante, Jake é advogado e Adam Arquiteto. Jake se casa com uma mulher mais jovem e é visivelmente infeliz, o que o faz retornar para os braços da ex-esposa que passa a condição de amante. Ambos começam um affair que inicialmente faz bem aos dois. Jane possui uma vida estabilizada, tem três filhos crescidos e passa a morar sozinha. Agora com um tempo apenas para ela, Jane vê-se tentada a viver uma aventura com seu ex e assim pa…

GUERRA AO TERROR, 2009, DE KATHRYN BIGELOW

It's where we hadn't been, it's where the enemy still was, and it's where the population is," (a senior Administration official).



Assisti ontem a dois filmes bem diferentes entre si. Na sessão de 16h30, assisti "Simplesmente Complicado" (It's Complicated), escrito e dirigido por Nancy Meyers e às 21h10 "Guerra ao Terror" (The Hurt Locker), dirigido por Kathryn Beglow com roteiro de . O primeiro é uma comédia romântica com Meryl Streep, Alec Baldwin e Steve Martin e o segundo conta com atores menos populares como Jeremy Renner e Anthony Mackie.

Guerra ao Terror foi uma iniciativa militar deflagrada pelos Estados Unidos após o atentado do dia 11 de setembro e teve o intuito de criar uma ofensiva contra os ataques aos Estados Unidos" e para isso o país invadiu e ocupou os territorios do Afeganistão e Iraque em 2001. A estratégia militar deu-se no governo de George W. Bush que deu à guerra uma conotação religiosa ao atribuir epitetos como …

Kathryn Biglow: a primeira mulher...

Kathryn Bigelow se tornou a primeira mulher, em exatos setenta e quatro anos, quando a DGA (Directors Guild of America), sindicato dos diretores, era a SGA (Screen Directors Guild), a vencer o prêmio da DGA na categoria direção de filme de longa-metragem com o filme Guerra ao Terror (The Hurt Locker, 2008).
Para entender o feito, basta lembrar que em toda a gestão da DGA apenas uma mulher esteve na presidência: Martha Coolidge (2002-2003), forte o cerco que se interpõe entre as mulheres e os espaços de poder, incluindo a presidência de um importante sindicato. A perspectiva masculina ainda dá o tom e para muitas mulheres entrarem no seleto grupo dos diretores precisam usar estratégias, que funcionam como "senhas de acesso".  
Kira Cochrane questiona em seu artigo no The Guardian: Why are there so few female film-makers? A questão parece oportuna, sobretudo quando temos conhecimento de que no início do século passado havia mais mulheres na direção e produção do que atualmente. …

CINEMA E IDADE

"É raro para uma mulher da minha idade - ou para uma mulher, simplesmente - ter a oportunidade de representar um personagem que é uma mulher forte e que está no controle". (Glenn Close) Fonte: http://oglobo.globo.com/cultura/revistadatv/mat/2010/01/22/glenn-close-volta-com-damages-diz-que-roteiristas-se-superaram-915685362.asp

BETTY COMDEN

"Wemeet, whether or not we have a project, just to keep up a continuity of working. There are long periods when nothing happens, and it’s just boring and disheartening. But we have a theory that nothing’s wasted, even those long days of staring at one another. You sort of have to believe that, don’t you? That you had to go through all that to get to the day when something did happen.”¹ (Betty Comden)
O seu nome é pouco conhecido entre os menos acostumados com o universo do cinema e talvez até mesmo para alguns especialistas. Ela foi uma das mais destacadas roteiristas nos anos 50 e escreveu um dos musicais mais aclamados em toda a história da sétima arte:Cantando na Chuva, (Singin' in the Rain,1952), mas também juntou ao seu amplo acervo outros musicais como A Roda da Fortuna (The Band Wagon, 1953) e Dançando nas Nuvens (It's Always Fair Weather, 1955). Em meu trabalho de garimpagem não encontrei outra roterisa com o mesmo currículo. Certamente foi uma das primeiras roteir…

CONTRADIÇÕES

Vejam como a publicidade age para promover um filme. O cartaz abaixo foi originalmente proposto pela Fox:


Vejamos agora os posters lançados em língua portuguesa:

Observem como funciona a recepção e a interpretação para um enunciado que inclui novos elementos, nesse caso as esquilas ou em um plano mais real, as mulheres. No cartaz original a ênfase está nos esquilos, homens no plano real, sobre um tapete vermelho (signo do estrelato), tendo as esquilas logo atrás acenando da porta do avião que aterrissa, anunciando a sua chegada.
Os cartazes em português interpretam o cartaz original da seguinte forma: o primeiro (da esquerda para a direita) sugere um suspens e soa como ameaça: "e dessa vez não estão sozinhos", já o segundo é explícito e misógino, pois já coloca as mulheres como potenciais usurpadoras de um espaço: "e desta vez tem concorrência", o que contradiz com a proposta do filme. Assim, para efeito de publicidade os divulgadores incitam a ideologia competitiva …

ALVIN E OS ESQUILOS 2, 2009

No sábado passado, tirei o dia para levar meu sobrinho (10) e o seu amigo (7) ao cinema. Fomos ver Alvin e os Esquilos 2 (Alvin and the Chipmunks 2: The Squeakuel), um desenho  de aventura (mas classificado como comédia/fantasia/romance) que mistura desenho animado com pessoas "reais", como foi em Uma Cilada para Roger Rabbit, anos atrás.  
Contudo, a aventura não apenas se deu na tela, mas fora desta, pois ir ao Shopping Iguatemi em uma tarde de sábado requer um misto de Mulher Maravilha, Noviça Rebelde e de Uma Babá Quase Perfeita. A saga começa no estacionamento, mas posso pular essa parte para não entediá-los. Daria o preâmbulo de um roteiro trágico, se não fossem os meninos a me distrair (pareciam alheios ao que eu via). Ao entrar no recinto, um formigueiro humano: pessoas cruzando os espaços e, eventualmente, se esbarrando uma nas outras, adolescentes e jovens ao léu  conversando, gargalhando e devorando seus sanduíches com bastante ketchup e batata frita, outros apenas…