Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2009

Dirigir filmes: uma tarefa penelopeana

Sandra Werneck, aos 58 anos, tem despontado como uma das diretoras brasileiras mais atuantes no momento. Os filmes sob a sua direção em geral são bem aceitos pelo público: Pequeno Dicionário Amoroso (1997), Amores Possíveis (2001), Cazuza - O Tempo não Pára (2004), Meninas (2006), Sonhos Roubados (2009). Os dois primeiros seguem um filão holywoodiano das comédias românticas, mas os três últimos possuem carga dramática mais densa. No entanto, sabemos o quanto é difícil adentrar no espaço da direção. Uma das mais conhecidas e antigas, Suzana Amaral, aos 77 anos, dirigiu quatro filmes, o que mostra a grande dificuldade no Brasil para as mulheres atuarem como diretoras.

Para se ter uma idéia, um diretor da mesma geração, Nelson Pereira dos Santos, 81 anos, dirigiu vinte e oito filmes; Ruy Guerra, aos 78 anos, dirigiu dezoito filmes; Bruno Barreto, da mesma geração que Sandra Werneck, com 54 anos, já dirigiu vinte filmes. Isso apenas para mostrar de uma maneira panorâmica que a linguagem …

Sinopses

Tenho o hábito de ler as sinopses de filmes, muito mais como exercício de leitura do que como guia.

Em geral, os textos sinóticos são produzidos para um espectador potencial e para isso eles devem seguir principios específicos para cumprir o seu propósito, isto é, fazer com que alguém se sinta  suficientemente atraído a sair de casa, enfrentando os riscos das ruas e das salas de projeções, para ver uma película. Não é de se estranhar que as sinopses tendam a selecionar aspectos esperados do gênero do filme para seduzir o grande público.

Em se tratando dos filmes dirigidos por mulheres há uma questão para nós, críticos e críticas, importante. As sinopses seguem os estereótipos do gênero do filme, mesmo que o gênero e o tema sejam apenas motivo aparente para uma discussão subjacente. Uma comédia romântica é um gênero leve, com menos carga dramática, que apresenta temas referentes a relações conjugais e familiares. No entanto,  temos que ultrapassar as constatações imediatas para realiz…

ENQUANTO ELA ESTÁ FORA (WHILE SHE WAS OUT), 2008

"In every dream home a heartache
And every step I take
Takes me further from heaven."
(Brian Ferry)

Direção: Susan Montford
Roteiro: Susan Montford
Elenco: Kim Basinger, Lukas Haas, Craig Sheffer, Luiz Chávez

O filme ENQUANTO ELA ESTÁ FORA (WHILE SHE WAS OUT) é de 2008, mas não cheguei a assistir na época em que passou nos cinemas (se é que chegou aqui em Salvador). Visitando uma loja de Departamento, encontrei um exemplar que logo me chamou a atenção pela capa e pelo título, sobretudo pelo fato da direção e roteiro serem assinados por uma mulher, o que para mim foi suficiente para adquiri-lo. Acertei. Nunca um filme de suspense e ação me agradou tanto ultimamente quanto esse. A capa traz uma mulher sentada no chão, exibindo uma aparência amedrontada e logo atrás dela, mais distante, a sombra de um homem. Uma imagem clichê, mas que quando associada ao titulo atiça a curiosidade: Ela está fora... mas de onde? Bem, em se tratando de um filme dirigido por uma mulher e como sou fe…

LANÇAMENTOS EM 2010

Em 2010, temos, pelo menos, dois lançamentos garantidos de duas grandes diretoras. Um deles chama-se It's Complicated(sem tradução para o português ainda), uma comédia romântica da norte-americana Nancy Meyers (foto ao lado)cujo lançamento está previsto para 26 de fevereiro, e o outro é um drama da diretora neozelandesa Jane Campion (ao lado e abaixo) que se chama Brilho de Uma Paixão (Bright Star) previsto para 12 de fevereiro. Em seu filme, Campion trata do romance entre o poeta inglês John Keats e Fanny Brawne.

Campion assina o roteiro e a direção, assim como Meyers.

No elenco, Nancy Meyers conta em seu filme com a atriz Meryl Streep e os atores Alec Baldwin e Steve Martin nos papéis principais. Já Campion aposta nos atores menos conhecidos para o grande público: o inglês Ben Whishaw e a australiana Abbie Cornish (Campion já havia trabalhado antes com outra australiana: a atriz Nicole Kidman no filme Retrato de Uma Mulher).

Nancy Meyers e Jane Campion têm se firmado com diretora…

UMA CENA PRIMOROSA: OS PAPÉIS ALTERNADOS

Cena (00:10), a perna da Sra. Robinson aparece em primeiro plano, flexionada, formando um triângulo (alusão ao triângulo amoroso?) e dentro da área do triângulo, como se emoldurado e envolvido (ou tentando), aparece todo o corpo inerte e apavorado de Benjamin Braddock, personagem performatizado por Dustin Hoffman.

Depois de analisar alguns indícios como: tê-lo conviado para ir a sua casa, oferecer uma bebida,  colocar uma música e informá-lo de que o Sr. Robinson estaria ausente por horas, Braddock chega a seguinte conclusão em relação às intenções da Sra. Robinson:

Ele:Mrs. Robinson, you are trying to seduce me. (Sra. Robinson, você está tentando me seduzir)
Ela: (ri, passando os dedos pelas pontas do cabelo).

Há gestos que dizem mais que qualquer palavra.

GRANDES ATRIZES, IN MEMORIAN

"Acontecem mais coisas na face de Bancroft em dez segundos do que na face da maioria das mulheres em dez anos". William Gibson (roteirista de O Milagre de Anne Sulivan)


Recentemente revi o filme Colcha de Retalhos(How to Make an American Quilt, 1995), de Jocelyn Moorhouse,  e, observando atentamente um elenco de mulheres idosas com atuações sublimes,   incluindo a lendária Jean Simons, me chamou a atenção a expressividade na face de Anne Bancroft, daí ter escolhido o enunciado de William Gibson como epígrafe. Impossível assitir a um filme com Anne Bancroft sem esperar ansiosamente por um close up e ver suas sombrancelhas arquearem-se seja para expressar alegria, desapontamento, ódio, entre tantas outras emoções humanas. Uma atriz que envelheceu lindamente e talentosamente.

Em toda a sua filmografia, Bancroft foi indicada para alguns prêmios, mas conseguiu apenas um Oscar de melhor atriz em O Milagre de Anne Sullivan (The Miracle Worker, 1962), baseado em um livro autobiográfi…

MUNDO DE BANDIDOS E PROSTITUTAS: O SÉCULO XIX

É com esse enunciado que o filme A Dama das Camélias (La Dame Aux Camelia, 1981) termina.  O filme é baseado no romance de Alexandre Dumas Filho e narra a história de Alphonsine Plessis, no filme interpretado por Isabelle Huppert, na pele de uma jovem, pobre, que vai para Paris e se torna a cortesã mais disputada entre os nobres.

Em busca de melhores condições de vida, na França dos nobres e dos párias do século XIX, a jovem só tinha uma saída para sobreviver dignamente: tonar-se prostituta. Parece contraditório, mas a única via de ascensão das mulheres pobres as levaria inevitavelmente muitas delas à morte física prematura, como aconteceu com Alphosine.

A versão francesa, bem diferente da norte-americana, estrelada por Greta Garbo, mostra a sociedade burguesa e seus jogos de sedução, suas divisões de esferas entre o público e o privado, ricos e pobres e, sobretudo, os impedimentos simbólicos das regras sociais que limitavam as mulheres de terem acesso ao dinheiro e à propriedade, a me…