Pular para o conteúdo principal

GRANDES ATRIZES, IN MEMORIAN

"Acontecem mais coisas na face de Bancroft em dez segundos do que na face da maioria das mulheres em dez anos". William Gibson (roteirista de O Milagre de Anne Sulivan)


Recentemente revi o filme Colcha de Retalhos (How to Make an American Quilt, 1995), de Jocelyn Moorhouse,  e, observando atentamente um elenco de mulheres idosas com atuações sublimes,   incluindo a lendária Jean Simons, me chamou a atenção a expressividade na face de Anne Bancroft, daí ter escolhido o enunciado de William Gibson como epígrafe. Impossível assitir a um filme com Anne Bancroft sem esperar ansiosamente por um close up e ver suas sombrancelhas arquearem-se seja para expressar alegria, desapontamento, ódio, entre tantas outras emoções humanas. Uma atriz que envelheceu lindamente e talentosamente.

Em toda a sua filmografia, Bancroft foi indicada para alguns prêmios, mas conseguiu apenas um Oscar de melhor atriz em O Milagre de Anne Sullivan (The Miracle Worker, 1962), baseado em um livro autobiográfico de Helen Kellner, Bancroft faz o papel de uma tutora que ensina a uma menina cega como interagir com o mundo. Mas, sem dúvida, a atriz ficou conhecida internacionalmente como a mulher madura que seduz o filho do amigo do seu marido vivido por Dustin Hoffman em A Primeira Noite de Um Homem (The Graduate, 1963). Além disso, o filme contou com a canção Mrs. Robinson feita por Paul Simon exclusivamente para o filme e executada pela dupla Simon & Garfunke.

Sobre os roteiros, Anne Bancroft dizia preferir atuar em poucos projetos mesmo que fossem de apenas uma página, porque, segundo ela, "há pouquíssimos bons roteiros, até mesmo para Julia Roberts". Parece-me que há uma geração de atrizes deixando espaços vazios por falta de outras atrizes qualificadas que possam preenchê-lo com o mesmo talento. Para quem vem do teatro, essa tarefa parece ser mais árdua, pois a formação teatral acaba dando aos atores um background cênico, performático, que não vemos em atrizes sem essa formação. Bancroft diz muito com a face. São movimentos que dispensam falas e que é obviamente captado pelo olhar da câmera que ao transformar um momento em uma eternidade, nos dá o real conceito da imortalidade. O que fica e não morre é a memória recontada. É tudo o que o espírito produz para tocar, alterar, modificar outros espíritos para que transcenda.

Abaixo, segue a filmografia com meus destaques em negrito.

2005 - Delgo (voz)
2002 - Em Roma na Primavera (The Roman Spring of Mrs. Stone)
2001 - In search of peace (voz)
2001 - Doce Trapaça (Heartbreakers)
2001 - Haven (TV)
2000 - Uma Paixão em Florença (Up At The Villa)
2000 - Tenha Fé (Keeping the Faith)
1999 - Deep in my heart (TV)
1998 - FormiguinhaZ (AntZ)
1998 - Mark Twain's America in 3D (voz - narrador)
1998 - Grandes Esperanças (Great Expectations)
1997 - O impaciente (Critical care)
1997 - Até o Limite da Honra (G.I. Jane)
1996 - Na trilha do sol (Sunchaser, The)
1996 - Homecoming (TV)
1995 - Drácula - Morto, mas Feliz (Dracula: Dead and Loving It)
1995 - Morto, mas feliz (Dracula: Dead and loving it)
1995 - Feriados em Família (Home for the Holidays)
1995 - Colcha de Retalhos (How to Make an American Quilt)
1994 - Mother, The (TV)
1994 - Tempos de guerra (Oldest living confederate widow tells all) (TV)
1993 - Mr. Jones (Mr. Jones)
1993 - Malícia (Malice)
1993 - A Assassina (Point of No Return)
1992 - Poção de amor nº 9 (Love potion nº 9)
1992 - Lua-de-mel a Três (Honeymoon in Vegas)
1992 - Mrs. Cage (TV)
1992 - Broadway bound (TV)
1989 - Na trilha da fama (Bert Rigby, you're a fool)
1988 - Essa estranha atração (Torch song trilogy)
1986 - Nunca Te Vi, Sempre Te Amei (84 Charing Cross Road)
1986 - Noite de desamor ('Night mother)
1985 - Agnes de Deus (Agnes of God)
1984 - Fala Greta Garbo (Garbo talks)
1983 - Sou ou não sou (To be or not to be)
1980 - O gorducho (Fatso)
1980 - O Homem-Elefante (The Elephant Man)
1977 - Momento de Decisão (The Turning Point)
1976 - A violentada (Lipstick)
1976 - A última loucura de Mel Brooks (Silent movie)
1975 - O Dirigível Hindenburg (The Hindenburg)
1974 - Banzé no Oeste (Blazing Saddles)
1974 - O Prisioneiro da Segunda Avenida (The Prisoner of Second Avenue)
1974 - Banzé no oeste (Blazing saddles)
1972 - As Garras do Leão (Young Winston)
1967 - A Primeira Noite de um Homem (The Graduate)
1967 - I'm getting married (TV)
1966 - Sete mulheres (7 women)
1965 - Uma vida em suspense (Slender thread, The)
1964 - vos (Pumpkin eater, The)
1962 - O Milagre de Anne Sullivan (The Miracle Worker)
1957 - Os indomáveis (Restless breed, The)
1957 - A Garota das Meias Pretas (The Girl in Black Stockings)
1956 - A maleta fatídica (Nightfall)
1956 - Honra de selvagens (Walk the proud land)
1955 - O tirano da fronteira (Last frontier, The)
1955 - O salário do pecado (Naked street, The)
1955 - A noite conspira com a morte (A life in the balance)
1955 - O código do diabo (New York confidential)
1954 - A besta negra (Gorilla at large)
1954 - Vingança Terrível (The Raid)
1954 - Demétrio e os gladiadores (Demetrius and the gladiators)
1953 - Kid from left field, The
1953 - O tesouro do condor de ouro (Treasure of the golden condor)
1953 - Sinfonia eterna (Tonight we sing)
1952 - Almas Desesperadas (Don't Bother to Knock)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECÉM-NASCIDOS NO CINEMA

Sinal dos tempos.
Recentemente fui assistir ao filme de animação Rio, no Shopping Salvador Norte, e me deparei com uma cena absurda: um bebê recém-nascido dentro da sala de exibição. Como se não bastasse o carrinho de pipoca e outras guloseimas dentro da sala e das bandejas repletas de frituras, exalando óleo requentado por todo o espaço, temos agora mais esta.
Durante a projeção do filme, o bebê chorava compulsivamente, forçando os espectadores a pedirem constantemente silêncio. Fico me perguntando o que leva os pais a cometerem tamanha tentantiva infanticida, submetendo o seu próprio filho a uma sala extremamente fria, ensurdecedora e repleta de ácaros e outros microorganismos prontos para atacarem o corpo frágil e indefeso do bebê. Imagino que os pais deveriam zelar pelo bem-estar dos seus filhos, serem responsáveis pela sua saúde e não o inverso. Fico me perguntando ainda o que levaria o empresariado a acobertar tal malefício, em nome de uns míseros “reais”.

Trata-se, a meu ver, de …

VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NOS FILMES

Uma mulher casada ou solteira é submetida a maus tratos pelo marido ou amante. Esta ideia já serviu de roteiro para vários filmes e a postagem aqui seria longa se analisássemos cada um deles. Alguns destes filmes foram dirigidos por homens, outros por mulheres, mas o importante é que o tema tem sido bastante filmado ao longo dos séculos. O que isso significa?
No dia 08 de março, o mundo se volta às questões da violência contra a mulher, não que em outros dias esta situação não seja acompanhada com intervenção de entidades e de pessoas, mas neste dia formou-se uma rede de ações que dão visibilidade a um problema sério no tecido social. Um problema que adoece a sociedade, transformando os homens em criminosos e as mulheres em cadáver.
A sociedade tem sido a mortalha para muitas mulheres.
Os filmes que tratam da violência contra a mulher são em geral ambientados no espaço domiciliar, com maridos violentos que buscam a todo custo submeter às mulheres a maus tratos físicos e psicológicos. …

As Ladies Marian em duas versões de Robin Hood

Mesmo quando o filme traz um homem na figura central da trama, não deixo de observar como as mulheres são vistas pelos seus roteiristas e diretores.
Uma personagem instigante é Lady Marian que aparece nos filmes como par romântico de Robin Hood. A literatura mostra que nem sempre foi constante a forma de representar esta personagem e isto pode ser perceptível quando tomamos dois filmes recentes sobre o legendário arqueiro. Uma das versões é a de Kevin Reynolds (1991) Robin Hood, o Príncipe dos Ladrões (Robin Hood, Prince of Thieves) que traz  Mary Elizabeth Mastrantonio como a atriz que desempenha o papel de Lady Marion. A sua primeira aparição no filme já mostra um conflito de gênero quando luta com Robin Hood (Kevin Costner) inicialmente com a espada e depois no corpo-a-corpo, quando é vencida. Neste momento, ela está usando uma armadura preta. Com a presença de Robin Hood, Lady Marion vai perdendo este ar mais agressivo e tornando-se dependente da proteção dele. Robin já havia prome…