Pular para o conteúdo principal

MUNDO DE BANDIDOS E PROSTITUTAS: O SÉCULO XIX

É com esse enunciado que o filme A Dama das Camélias (La Dame Aux Camelia, 1981) termina.  O filme é baseado no romance de Alexandre Dumas Filho e narra a história de Alphonsine Plessis, no filme interpretado por Isabelle Huppert, na pele de uma jovem, pobre, que vai para Paris e se torna a cortesã mais disputada entre os nobres.

Em busca de melhores condições de vida, na França dos nobres e dos párias do século XIX, a jovem só tinha uma saída para sobreviver dignamente: tonar-se prostituta. Parece contraditório, mas a única via de ascensão das mulheres pobres as levaria inevitavelmente muitas delas à morte física prematura, como aconteceu com Alphosine.

A versão francesa, bem diferente da norte-americana, estrelada por Greta Garbo, mostra a sociedade burguesa e seus jogos de sedução, suas divisões de esferas entre o público e o privado, ricos e pobres e, sobretudo, os impedimentos simbólicos das regras sociais que limitavam as mulheres de terem acesso ao dinheiro e à propriedade, a menos que fossem prostitutas. Em outras palavras: as prostitutas gozavam de certa autonomia e poder.

A desigualdade de classe e o abismo entre a abastada burguesia e os pobres campesinos são alarmantes. A extravagância e o luxo dos ricos contrastam com a extrema miséria dos pobres que mal tem o que comer. Há uma cena em que uma menina doente oferece um prato de comida a Alphonsine e que ao vê-la comer com avidez tem uma crise de gargalhadas por achar exótico, um espetáculo grotesco uma jovem da mesma idade comendo com as mãos, ferozmente, tão feroz quando o sistema que a exclui. Mas nem só as mulheres pobres se prostituem no filme e na França do século XIX, os homens também viram cafetões. Nesse caso, o pai de Alphonsine, que tem com ela uma relação incestuosa, a vende para vários homens em troca de dinheiro.  A sociedade burguesa não apenas criou um fosso entre as classes, mas "plantou" e intensificou na sociedade ocidental a exploração sexual como negócio, tranformando mulheres pobres em prostitutas e homens em malandros e cafetões.

Filme: A Dama das Camélias (La Deux Aux Camelia)
Ano: 1981
Produção: Itália/França
Direção: Mauro Bolognini
Roteiro: Enrico Medioli
Elenco principal:
Isabelle Huppert....................Alphonsine Plessis
Bruno Ganz...........................
Fabrizio Bentivoglio ..............
Carla Fracci .........................
Clio Goldsmith .....................
Gian Maria Volontè .............
Mario Maranzana ................
Yann Babilée ......................

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECÉM-NASCIDOS NO CINEMA

Sinal dos tempos.
Recentemente fui assistir ao filme de animação Rio, no Shopping Salvador Norte, e me deparei com uma cena absurda: um bebê recém-nascido dentro da sala de exibição. Como se não bastasse o carrinho de pipoca e outras guloseimas dentro da sala e das bandejas repletas de frituras, exalando óleo requentado por todo o espaço, temos agora mais esta.
Durante a projeção do filme, o bebê chorava compulsivamente, forçando os espectadores a pedirem constantemente silêncio. Fico me perguntando o que leva os pais a cometerem tamanha tentantiva infanticida, submetendo o seu próprio filho a uma sala extremamente fria, ensurdecedora e repleta de ácaros e outros microorganismos prontos para atacarem o corpo frágil e indefeso do bebê. Imagino que os pais deveriam zelar pelo bem-estar dos seus filhos, serem responsáveis pela sua saúde e não o inverso. Fico me perguntando ainda o que levaria o empresariado a acobertar tal malefício, em nome de uns míseros “reais”.

Trata-se, a meu ver, de …

VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NOS FILMES

Uma mulher casada ou solteira é submetida a maus tratos pelo marido ou amante. Esta ideia já serviu de roteiro para vários filmes e a postagem aqui seria longa se analisássemos cada um deles. Alguns destes filmes foram dirigidos por homens, outros por mulheres, mas o importante é que o tema tem sido bastante filmado ao longo dos séculos. O que isso significa?
No dia 08 de março, o mundo se volta às questões da violência contra a mulher, não que em outros dias esta situação não seja acompanhada com intervenção de entidades e de pessoas, mas neste dia formou-se uma rede de ações que dão visibilidade a um problema sério no tecido social. Um problema que adoece a sociedade, transformando os homens em criminosos e as mulheres em cadáver.
A sociedade tem sido a mortalha para muitas mulheres.
Os filmes que tratam da violência contra a mulher são em geral ambientados no espaço domiciliar, com maridos violentos que buscam a todo custo submeter às mulheres a maus tratos físicos e psicológicos. …

As Ladies Marian em duas versões de Robin Hood

Mesmo quando o filme traz um homem na figura central da trama, não deixo de observar como as mulheres são vistas pelos seus roteiristas e diretores.
Uma personagem instigante é Lady Marian que aparece nos filmes como par romântico de Robin Hood. A literatura mostra que nem sempre foi constante a forma de representar esta personagem e isto pode ser perceptível quando tomamos dois filmes recentes sobre o legendário arqueiro. Uma das versões é a de Kevin Reynolds (1991) Robin Hood, o Príncipe dos Ladrões (Robin Hood, Prince of Thieves) que traz  Mary Elizabeth Mastrantonio como a atriz que desempenha o papel de Lady Marion. A sua primeira aparição no filme já mostra um conflito de gênero quando luta com Robin Hood (Kevin Costner) inicialmente com a espada e depois no corpo-a-corpo, quando é vencida. Neste momento, ela está usando uma armadura preta. Com a presença de Robin Hood, Lady Marion vai perdendo este ar mais agressivo e tornando-se dependente da proteção dele. Robin já havia prome…